Pesquisar este blog

sábado, 14 de janeiro de 2012

A chuva passa

Lá fora cai a chuva
Tão límpida, tão escura
E aqui, dentro de mim,
Saudades sua...

No meu peito, um coração
Ainda meio ferido da ultima batalha
Machucado, perdido na estrada
Precisando de um socorro
Precisando de uma mão

Há tanto tempo...
Penso em morrer em vão
Em me ferir, em me destruir
Mas você não deixa não
Eu sei que você não deixa não

A chuva passa, como tudo passa
Passa até aquela falta,
Passa até aquele vazio de ti
E se ontem senti frio
Hoje sinto euforia
Por ter outra pra te substituir.

3 comentários:

  1. Nossa! Muito profundo! rs
    Gostei!

    ResponderExcluir
  2. Amigo... que chuva, hein? Deixou erosões e emoções...

    ResponderExcluir
  3. Profundo e ao mesmo tempo lindo

    ResponderExcluir